Dicas de palmo e meio para o regresso às aulas

Foto de Gerd Altmann em Pixabay.   O novo ano escolar deve ser encarado como um desafio por toda a família, em particular, a integração dos jovens caloiros.

O Sol de Verão está a mudar de intensidade a cada dia que passa, um sinal de que as férias estão a chegar ao fim. Setembro está aí. É tempo de se começar a preparar e também de consciencializar os seus filhos para o regresso às aulas.

Se para uma grande maioria das crianças é apenas o reencontro de amigos e o prosseguir de um filme que já estão habituados, embora pareça não ter fim, para muitos outros trata-se de uma nova aventura. É sobretudo para os novos alunos e para os que têm de mudar de escola que deve haver uma maior preocupação na integração de forma a não haver surpresas desagradáveis.

O novo ano escolar deve ser encarado como um desafio por toda a família. A organização, a tranquilidade e a segurança são alguns pilares fundamentais para o sucesso.

Vou à escola pela primeira vez

Os pais devem sentir-se orgulhosos, mas seguros e tranquilos para poderem passar essa energia à criança. Os filhos(as) são o espelho dos pais. Umas semanas antes do início do ano letivo, converse sobre o novo desafio que se avizinha e relembre como também foi importante para si a sua estreia escolar. Nada como uma ou duas boas histórias para criar entusiasmo e até mesmo sublinhar quem ainda hoje são quem os seus amigos de escola. Se for possível passe uma ou duas vezes à porta da escola, mesmo que a criança já a conheça, para que esta sinta maior confiança e motivação em frequentar aquela que será a sua segunda casa. Mas para que a escola seja a segunda casa a nossa casa tem de ser verdadeiramente a primeira escola. Como tal, vamos perguntar à criança: O que ela sente quando passa pela escola? O que ela sente por estar prestes a ir para a escola. O que sente em relação aos colegas? Está satisfeita e porquê? Estas são algumas pontes para poder falar abertamente com a criança e ajudá-la na integração.

Nova escola é uma grande oportunidade

A mudança de escola pode ser uma grande oportunidade. Se a alteração é justificada muitas vezes por necessidades familiares, há muitos casos em que resulta de uma promoção devido ao fim de um ciclo escolar. Aí, o desafio de ambientação será mais fácil se a transição for acompanhada por um ou dois antigos amiguinhos(as). Em todo o caso, a receção deve ser monitorizada pelos pais para que os professores e os auxiliares possam ajudar na integração.

Atitude positiva

A nova aventura deve ser encarada sempre com motivação e muita alegria. O sentimento positivo ajudará a vencer num ambiente que vai colocar diariamente à prova toda a sensibilidade e personalidade da criança. Explique a necessidade de saber vencer desafios, mas mostre também abertura e tranquilidade para falar sobre o que pode vir a correr menos bem, de acordo com a expectativa da criança. É preciso reforçar que errar e reconhecer o erro é o melhor princípio para não voltar a errar.

Ser um bom anfitrião

Num princípio qualitativo de interação, os pais devem aconselhar os filhos a serem bons anfitriões, mesmo que não tenha sido anteriormente bem recebido. É preciso mudar padrões e receber bem os seus novos colegas, ajudando-os com muita boa vontade na sua integração. Só esta prática permitirá criar uma segunda família e uma casa onde todos se sentem verdadeiramente bem. 

Manifestações de desequilíbrio

Crianças com potenciais diferentes, como por exemplo, as Índigo, Cristal ou das Estrelas, todas elas portadoras de um potencial da Nova Era de Aquário. Estas são crianças que irradiam muito amor do seu coração, não são agressivas, nem tão pouco procuram a competição, o que leva a que sejam alvos fáceis de ‘bulling’. São as sementes de uma nova sociedade diametralmente oposta à atual. Estas crianças sentem-se muitas vezes perfeitamente desenquadradas com o ensino atual e mesmo assim propõem-se alquimizar as energias das escolas, dos professores ou dos colegas. Para este tipo de crianças, os pais devem ter uma maior atenção, pois esta alquimização manifesta-se muitas vezes por alterações ao nível físico, da alma e do espírito. Não é por acaso que no início de um infantário ou no primeiro ano de escolaridade, surgem manifestações através de febres, constipações, desequilíbrios intestinais ou digestivos como vómitos e dores de cabeça, faltas de apetite e perda de energia ou vitalidade. Na maior parte destas situações será suficiente um descanso da escola, entre um a dois dias, para recuperar energias, podendo até só tomar os florais mencionados a seguir e uma infusão de Lúcia-lima, Cidreira ou Erva-Príncipe. 

Foto de Esfera Dourada.      Os florais RQ7 e Rescue têm a função de equilibrar, em situação de emergência, as inúmeras qualidades e frequências de energias que compõem a geometria vibratória do Espírito, da Alma e do Corpo do Ser Humano.

Floral de Bach ajuda

O Floral de Bach Rescue – contém a energia de cinco flores: Cherry Plum (Cerejeira), Clematis (Clematide Branca), Impatiens (Beijo de Frade), Rock Rose (Cisto) e Star of Bethlehem (Estrela de Belém) – se tomado dias antes da entrada na escola relaxa, acalma e reforça a segurança. Bastam algumas gotas com água (três a cinco gotas) para ajudar pais e crianças a ultrapassar momentos menos fáceis. Não é por acaso que se chama “socorro”. 

Além do Floral Rescue de Edward Bach (podemos encontrar também spray ou uma solução infantil, sem álcool), também pode escolher as essências florais de Andreas Korte, como o RQ7 que tem mais duas flores do que o Rescue, a Consolda Menor e Flor de Lótus. O RQ7 diferencia-se pela forma de elaboração no laboratório PHI, em que não há corte das flores e a consequente separação da planta-mãe, nem sequer a falta de fluxo após 20 minutos de ser cortada. 

Ambos os florais têm a função de equilibrar, em situação de emergência, as inúmeras qualidades e frequências de energias que compõem a geometria vibratória do Espírito, da Alma e do Corpo do Ser Humano.

Estes florais podem ser encontrados em ervanárias, farmácias homeopáticas e o RQ7 pode também ser adquirido no site PHI Essences

Infusões para acalmar

Em ritual diário, preferencialmente à noite e em reunião familiar, faça uma infusão de Lúcia-lima, Cidreira, Jasmim ou Camomila para começar a tranquilizar as noites da família. Esta pode ser uma porta da preparação de pais e filhos para a nova etapa que se avizinha. Como complemento à infusão pode tomar três gotas de RQ7 ou de Rescue.

Antecipe rotinas atempadamente

Uma ou duas semanas antes do início do novo ano letivo deve começar lentamente a preparar os petizes para as novas rotinas. A ida para cama e o levantar devem começar a aproximar-se dos novos horários para que a criança cumpra o ciclo de sono normal, sem a resmunguice tradicional, e para que as novas rotinas entrem atempadamente nos eixos.

Autoconfiança é fundamental

A criança precisa de sentir-se forte e autoconfiante para enfrentar o novo desafio. É bom lembrar que o nervoso miudinho faz parte e que o papel dos pais é o de acreditar que a criança vai vencer o novo desafio. Todos os stresses do dia-a-dia como, por exemplo, alguém a tentar pressionar, chantagear ou a fazer bullying – fisicamente ou através da internet – deve ser falado abertamente para a criança se sentir segura e para que tudo se resolva de imediato. Neste sentido é fundamental lembrar a necessidade da rápida integração escolar para que se criem novas amizades, o que por vezes funciona também como um travão para situações mais abusivas. A união faz a força.

Medo ou receios ficam à porta

O novo ambiente repleto de novos colegas, professores e funcionários é uma grande oportunidade para constituir amigos e descobrir novas brincadeiras. O medo e o receio ficam à porta, pois convém sublinhar que a escola é um local de aprendizagem, mas também serve para brincar nos recreios. Lembre a criança que a sua interação com novos amigos acontece igualmente no infantário ou nas festas de aniversário e será também assim ao longo da vida noutras escolas e depois mais tarde no mundo laboral.

Material escolar como estímulo

A compra antecipada de material escolar pode funcionar como estímulo adicional para a nova etapa. A preparação atempada e a organização das mochilas deve ser feita ainda em tempo de brincadeira para quebrar o gelo e também criar ânimo.

Foto de Pixabay.    Uma ou duas semanas antes de arrancar o novo ano letivo deve começar lentamente a preparar os petizes para novas rotinas.
Love
rfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-slide