10 plantas para dizer basta de piolhos

Foto de Vince Smith em Flickr (da photo by Peter Broennimann).    Mulheres e crianças Waorani, tribo da região amazónica do Equador, inspecionando os cabelos uns dos outros para tirar os piolhos. Esta foto emblemática está exposta no museu norte-americano de história natural.

Quem nunca apanhou piolhos ou teve alguém na família que não tivesse tido não é um Ser deste Planeta. Ter piolhos não é vergonha porque este parasita não escolhe o tipo de cabelo, tanto faz ser curto ou longo, como liso, ondulado ou aos caracóis. Também não é a falta de higiene que atrai os piolhos, pelo contrário até preferem um ambiente limpo, seco e não gorduroso. Muito menos está relacionado com o estatuto social, pois ataca todos por igual, independentemente da situação financeira. Nem tão pouco a idade, embora nos adultos seja menos frequente porque o contacto físico também é menor, normalmente são os filhos que passam para os pais.

A pediculose, assim denominada pelos especialistas, é normalmente apanhada em contacto direto entre cabeças, em particular em idade escolar, ou através de objetos de uso pessoal contaminados, como por exemplo, chapéus, pentes ou outros acessórios para o cabelo.

Há, no entanto, também muitas pessoas que desenvolvem este tipo de parasitas na cabeça, nas axilas ou nas virilhas. Em causa está uma alimentação rica em aves e animais mamíferos que contêm muitos destes parasitas, sobretudo devido à composição das rações e aos estimulantes de crescimento que ingerem. Esta energia desequilibra o pH sanguíneo, tornando-o mais ácido, o que facilita a propagação de certas doenças ou parasitas. No caso das crianças existe uma maior incidência por estas serem mais sensíveis e neutras, logo mais propícias a captar este tipo energia, sendo que a maior incidência ocorre entre os 7 e os 14 anos.

Os piolhos fazem essencialmente do couro cabeludo a sua residência, alimentam-se do sangue humano e reproduzem-se através de ovos, as chamadas lêndeas. Basta uma semana para se começarem a multiplicar e a iniciarem uma verdadeira infestação que se propaga facilmente a todos os que estão à sua volta e pode durar meses se não for travada a tempo. É em Lua Nova, a caminho da Lua Cheia, que os piolhos se desenvolvem e se propagam com maior frequência.

Os primeiros sinais

A denuncia mais frequente é a comichão incomodativa. Uma impressão que é provocada pelo movimento dos piolhos na cabeça, pelos eczemas que estes fazem com as picadelas no couro cabeludo e que acabam por resultar em pequenas crostas. A reduzida dimensão do piolho, parece uma pequena semente de linhaça, tem seis patas e medem entre 4 a 8 milímetros e no couro cabeludo sobrevive até 30 dias. Existem cerca de 5000 espécies de piolhos a nível mundial e as fêmeas põem oito a dez ovos por dia, as referidas lêndeas. Estes pequenos pontos brancos fixam-se nos fios do cabelo, perto do couro cabeludo, em particular na região da nuca e atrás das orelhas. As lêndeas demoram cerca de oito dias a eclodir, propagando-se depois através do contacto. Sim, os piolhos não voam nem saltam e fora do cabelo sobrevivem apenas um a dois dias, pois necessitam de alimentação constante, o que é feito normalmente através do nosso sangue.

Como tratar?

A praga dos piolhos atinge sobretudo crianças, por isso o tratamento mais aconselhado são produtos naturais não tóxicos. Atenção que por vezes é necessário repetir a operação de limpeza passado oito dias para eliminar totalmente os parasitas. Neste âmbito há muita variedade, até porque há espécies cada vez mais resistentes. Veja a seguir alguns exemplos para usar no dia-a-dia:

Álcool canforado

Esta solução não deve ser usada se o couro cabeludo apresentar pequenas feridas causadas pelos piolhos, pois o álcool vai provocar ardor. Caso contrário, se inundar o cabelo e o couro cabeludo com álcool canforado e deixar atuar dentro de uma touca, os piolhos e as lêndeas morrem. A seguir para ter maior eficácia deve passar um pente fino para se certificar que não há piolhos nem ovos.

Vinagre de maçã

Junte um copo de vinagre de maçã em meio litro de água e molhe muito bem o couro cabeludo. A seguir coloque uma touca de plástico na cabeça durante meia hora para que as lêndeas e os piolhos morram. Use um pente fino para limpar o cabelo dos parasitas e depois sim, lave-o normalmente com champô.

Chá de Urtiga

Há muito que a mal-amada urtiga é usada como repelente natural de piolho e pulgão das plantas. Um poder que também pode ser usado no Ser Humano através do chá de urtiga. Para isso, coloque 10 gramas de urtiga desidratada num litro de água e depois de frio e coado está pronto para ser aplicado no couro cabeludo. Deixe atuar dentro de uma touca durante meia hora e a seguir use um pente muito fino para retirar todos os parasitas. Termine lavando a cabeça muito bem com o champô habitual.

Chá de Marroio

Também conhecida como hortelã-do-maranhão ou hortelã de folha grossa, o marroio é um aliado para combater os piolhos e lêndeas. Uma colher de sobremesa num litro de água a ferver durante 10 minutos ou em alternativa apanhe uma mão cheia de folhas e faça uma pasta para cobrir todo o couro cabeludo. Em qualquer das opções deve cobrir a cabeça de imediato com uma toalha ou uma touca e aguardar durante meia hora pelo efeito do marroio. Depois retire os parasitas e os seus ovos com um pente bem fino e finalize com uma boa lavagem de cabeça com o tradicional champô.

Chá de Arruda

Coloque 40 gramas de folhas de arruda num litro de água a ferver e deixe a infusão durante uns 10 minutos. Depois de arrefecer e de coar, molhe o algodão ou a gaze e aplique diretamente no couro cabeludo. Quando o cabelo tiver bem molhado, enrole uma toalha à volta do cabelo (em alternativa use uma touca) durante meia hora para que o chá de arruda faça o seu efeito. A seguir deve lavar o cabelo com o seu champô e finalizar com o amaciador, mas antes de o passar por água, pegue num pente muito fino para retirar, em cada mecha de cabelo, os piolhos mortos e as lêndeas. A arruda elimina piolhos e acalma a comichão que estes parasitas provocam no couro cabeludo.

Chá de Gengibre

A energia de fogo contida na raiz de gengibre ativa e destrói parasitas como piolhos e lêndeas. Rale ou corte cinco ou seis pedaços da raiz de gengibre e junte num litro de água a ferver. Depois de coar e arrefecer, molhe a cabeça muito bem e envolva o cabelo numa touca. Meia hora depois limpe os cabelos dos piolhos e lêndeas e lave muito bem a cabeça com o seu champô.

Chá de Alecrim

É uma planta que limpa, fortalece e estimula o seu crescimento do cabelo, além de combater piolhos e lêndeas. Junte uma mão cheia de folhas secas de alecrim num litro de água a ferver e depois de arrefecer e coar aplique em todo o cabelo e couro cabeludo. Esta infusão ajuda a eliminar os piolhos. Também neste caso deve utilizar um pente fino para retirar eficazmente os piolhos e lêndeas, antes de lavar a cabeça com champô.

Azeite

A gordura e as características do azeite quando usadas em abundância no couro cabeludo e durante, pelo menos meia hora, asfixiam os piolhos e as lêndeas. Esta opção tem ainda outra vantagem que é hidratar o cabelo e o couro cabeludo.

Óleo Lavanda

O intenso cheiro a lavanda e as suas propriedades são repelentes naturais contra piolhos e lêndeas. Inunde a cabeça de óleo de lavanda e cubra de imediato com uma touca durante meia hora. Retire de seguida os parasitas e os seus ovos com um pente fino e posteriormente lave o cabelo normalmente.

Óleo de eucalipto

Mesmo os piolhos mais resistentes, normalmente não resistem ao óleo de eucalipto. O intenso odor e as características que oferece como por exemplo ser antisséptico e adstringente de feridas, além de eliminar piolhos e lêndeas, também acalma a irritação no couro cabeludo.

Desinfecte o pente e a roupa

A utilização de escovas ou pentes de cabelo devem deve ser de imediato desinfectados com álcool ou água a ferver e colocados durante algum tempo no congelador para eliminar todos os parasitas. Uma operação de limpeza que se deve expandir também à roupa que a pessoa usou nos últimos dias, bem como a toda a roupa de cama, bonecos de peluche, toalhas de banho, de rosto, etc… A lavagem deve ser feita a alta temperatura, pelo menos a 60 ºC, por forma a eliminar de vez os piolhos e lêndeas.

Love
rfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-slide