Usufrua do Sol pela sua saúde

Foto de Alexandra em Pixabay.  O Sol é uma fonte de energia vital para qualquer Ser Vivo no Planeta Terra.

O Sol é uma fonte de energia vital para qualquer Ser Vivo, uma vez que é através das partículas subatómicas de luz eletromagnética que se produz e emite Biofótons (bio significa vida e fóton é luz). Energia esta que é responsável por transmitir informação que ativa, inibe e organiza as funções vitais dos átomos, células, moléculas e de todos os órgãos que compõem qualquer Ser Vivo. Todos os Seres Humanos estão aptos a captar energia do Sol através da pele, órgão que faz parte do sistema respiratório, da qual as três primeiras camadas da pele interagem diretamente com as três primeiras das nove camadas da Alma (Alma do Corpo e Alma do Espírito), proporcionando, à luz dos 17 sentidos, sentimentos como calor, alegria, humor ou felicidade. Emoções que levam de imediato qualquer Ser para a leveza dos meses quentes de Verão, onde se destacam as férias e a praia.

Para quem vive em Portugal, o milagre chega a acontecer durante 300 dias por ano, o que o torna no país com mais dias de Sol da Europa. O Sol assume maior intensidade em território português entre os meses de Abril a Setembro, sendo que nos três meses de Verão a inclinação dos raios estão próximos dos 45 graus. Os portugueses têm assim condições impares para energizar o organismo. No entanto, o sentimento de medo criado e induzido ao longo das últimas décadas, sobre os eventuais malefícios do sol na pele, faz com que se tenha banalizado o consumo de protetores solares.

A agitada vida moderna, onde maior parte do dia é passada entre quatro paredes à frente de um computador, exige que se usufrua do sol direto e sem qualquer protetor solar para que haja saúde. Não é por acaso que há cada vez mais pessoas com carência de vitamina D, aquela que evita inúmeros desequilíbrios nomeados como doenças e afinal é só falta de Sol.

Foto Matt Tunjic em Pixabay.  Portugal  chega a ter 300 dias de sol por ano, ou seja é o país com mais dias de Sol do continente europeu.

A grande maioria dos portugueses nem faz uma exposição solar direta e diária mínima, isto é entre 15 a 30 minutos, durante as 12h00 e as 13h00, quando a intensidade do Sol é mais forte, para garantir a integração e a fixação da vitamina D. O tempo de exposição solar depende de pessoa para pessoa, por exemplo uma pele mais escura necessita de mais sol para sintetizar a vitamina D e uma pessoa de pele mais clara precisa de menos tempo de exposição solar, mas a pele dá sinal sempre que o Sol é excessivo.

Um estudo da Faculdade de Medicina de Coimbra, em colaboração com a Nova Medical School, citado pela agência noticiosa Lusa no início de 2019, revelava que a maioria dos adultos portugueses analisados, apresentava níveis de vitamina D muito abaixo do normal, o que corresponde a um risco de deficiência grave.

Como já dizia Alberto Caeiro, heterónimo de Fernando Pessoa, “Querem uma luz melhor que a do Sol”. O título deste poema deve ser recordado todos os dias porque usufruir do Sol dá saúde.   

Não diabolize o Sol e não confie cegamente na indústria farmacêutica que vende protetores solares cada vez mais sofisticados e com ingredientes químicos, cujos reais efeitos no ser humano só a pouco e pouco se começam a descobrir e a assumir. Segundo um estudo que acaba de ser divulgado pela agência reguladora do medicamento dos EUA (Food and Drug Administration), é tornado público que basta um dia para que as substâncias químicas presentes nos protetores solares entrem no nosso sangue.

As conclusões do estudo, publicadas na revista científica “Journal of the American Medical Association”, citada pela FDA, revela que há vários ingredientes dos protetores solares – creme, spray ou loção – que são absorvidos através da pele e penetram no sistema sanguíneo em doses acima das recomendadas pelos especialistas. A investigação detetou mesmo que há concentração excessiva de ativos como a avobenzona, oxibenzona, octocrylene e ecamsule. Substâncias estas que são suspeitas de provocar desequilíbrios hormonais, de fertilidade, de interferência no desenvolvimento do ser humano, em particular crianças e ainda de provocar doenças degenerativas.

O médico e investigador David Strauss, da FDA, afirmou em comunicado que “a absorção sistemática dos ingredientes presentes nas loções de proteção solar apoiam a ideia de que são necessários mais estudos para determinar o significado clínico dos dados apurados”. A FDA pediu análises pormenorizadas sobre 12 ingredientes presentes em protetores solares para deliberar sobre o grau de segurança.  

A verdade é que o Ser Humano já tem o seu próprio protector natural aos raios solares, como por exemplo a melanina ou suor, e a própria pele dá sinal quando o Sol é excessivo. Sistema este que vai sofrer uma forte interferência através da aplicação de um protetor químico que contém filtros solares contra radiações ultravioletas (UVA e UVB). Não é por acaso que as farmacêuticas aconselham que se aplique o protector solar meia hora antes da exposição solar, para que pele absorva todas as substâncias químicas. Os especialistas há muito que alertam que as substâncias químicas dos protectores solares são absorvidos pelo organismo e que vão afetar o sistema hormonal, provocando graves desequilíbrios de saúde que podem desencadear doenças degenerativas e impedem que o organismo integre a vitamina D. 

Além do impacto no Ser Humano, os protetores estão também associados à poluição do meio ambiente, em particular no mar, pois muitas das substâncias que usam são derivados do petróleo. Por exemplo, ainda em 2018, o Hawai aprovou a legislação que proíbe a venda de protetores solares para proteger os recifes de corais da região. Uma posição que foi seguida pela Flórida que criou uma lei que vai entrar em vigor a partir de janeiro de 2021.

Face ao risco que existe sobre os potenciais malefícios dos protetores solares, a melhor opção é ter mais atenção aos sinais que o seu corpo dá. Todos nós temos instinto de proteção sempre que há uma excessiva exposição solar. Existem chapéus, óculos, entre muitos outros acessórios que nos protegem do Sol em excesso. Às vezes bastam sucessivos mergulhos na piscina ou na praia e em último recurso há sempre uma sombra à nossa espera. Mas se optar por consumir um protetor solar prefira os que são feitos com produtos biológicos 100% naturais. Mas preferencialmente, nunca diga não a um raio de Sol, ele é vida e saúde.

Foto de Pexels em Pixabay.   Preste mais atenção aos sinais que o seu corpo dá sempre que há uma excessiva exposição solar. Às vezes basta um simples mergulho em vez de usar protetor solar.

Reforce a sua consciência em:

Oxibenzona: composto tóxico está presente em protetor solar

Lair Ribeiro explica a ação dos protetores solares

Importância da vitamina D no nosso organismo

Benefícios do Sol segundo Lair Ribeiro

Protetor solar 50, afinal é apenas 15

Químicos dos protetores solares entram no sangue?

Love
rfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-slide