Arroz integral ajuda a digestão e afasta doenças degenerativas

Foto de Rubén Calvo em Pixabay.   O grão de arroz pode ser longo, médio ou redondo, mas se for integral mantém todos os ingredientes e propriedades essenciais ao organismo.  

Arroz (Oryza)

Planta:

Oriundo da Ásia, o arroz é a base da alimentação de uma grande parte da população mundial e por isso é terceiro cereal mais produzido no planeta, logo atrás do milho e do trigo. A China e a Índia são os maiores produtores deste grão. Em Portugal, o consumo de arroz é um dos mais elevados da Europa, apontando as últimas estatísticas para que cada português consuma, em média, cerca de 15 quilos por ano.  Existem sete espécies diferentes e as suas múltiplas variedades dependem do grão longo, médio ou redondo.

Propriedades:

É antisséptico, antipirético, antitóxico e diaforético… Propriedades que resultam do facto do arroz ser rico em hidratos de carbono (60% a 80%), cerca de 7% de proteína, apenas 0,5%-2% de gordura, também fornece proteínas, vitaminas e minerais essenciais ao nosso organismo. Mas atenção que o vulgar e bonito arroz branco, ou seja refinado, já perdeu parte dos seus principais ingredientes (contém sobretudo hidratos de carbono).

Pelo contrário, o arroz integral mantém intactos todos os seus nutrientes: hidratos de carbono (menor quantidade), vitaminas do grupo B (B1, B2, B3, B6, B9), vitaminas A, E, H e PP, minerais como zinco, selénio, cobre e magnésio, bem como fitoquímicos com ação antioxidante. 

Benefícios:

  • Amigdalite,
  • colesterol,
  • desinteria,
  • digestiva,
  • diurética,
  • doenças degenerativas (do intestino ou colorretal),
  • doenças renais e da bexiga,
  • gripe,
  • impulsiona o sistema imunológico,
  • metabolismo,
  • obesidade,
  • pele,
  • pneumonia,
  • prisão de ventre (já o arroz branco, simples, ajuda em casos de diarreia),
  • reduz a pressão sanguínea devido às baixas taxas de sódio,
  • sistema nervoso…

Como consumir:

O arroz é utilizado tradicionalmente em múltiplas receitas de culinária ou produtos alimentares como, por exemplo, leite ou óleo de arroz. Mas este cereal é também parte ativa em produtos de beleza, na alimentação de animais, diretamente ou através de subprodutos como rações. O arroz é ainda usado para fazer fertilizantes, produzir energia elétrica através de centrais de biomassa que queimam a casca de arroz, mas o grão pode também ser usado para outras práticas, como por exemplo, secar aparelhos eletrónicos ou amadurecer fruta.

Contra-indicação:

Convém estar atento, uma vez que cada corpo é diferente e poderão existir eventuais incompatibilidades, totais ou momentâneas, geradas pela sua ingestão. 

Este texto é uma tomada de consciência. De acordo com a estação do ano e o momento em que se encontra, cabe a cada Ser sentir se deve consumir este alimento. A dosagem e frequência depende da natureza e da condição física de cada Ser Humano.

Foto de Tuan Hoang em Pixabay.    A China e a Índia são os maiores produtores de arroz a nível mundial e este é o terceiro cereal mais produzido no Planeta, logo atrás do milho e do trigo.

Sinta mais sobre cereais em:

Cereais devem ter um peso elevado na nossa alimentação

Conheça oito cereais que invadem a nossa mesa

Love
rfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-slide